SOMOS CONTRA A QUALQUER TIPO DE DISCRIMINAÇÃO

SOMOS CONTRA A QUALQUER TIPO DE DISCRIMINAÇÃO
RACISMO É CRIME!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

MANIFESTAÇÃO PELA ABERTURA DOS ARQUIVOS DA DITADURA

O Comitê Paulista Memória Verdade e Justiça, integrado por diversas entidades, todos estão convidados para manifestação pela abertura imediata dos arquivos, apuração e punição dos crimes da ditadura e defesa da memória daqueles que lutaram e resistiram à ditadura.

DO SINDICATO DOS JORNALISTAS DE SP

Os participantes, que se organizam em defesa da memória dos que lutaram contra a ditadura militar, sairão em caminhada até o gabinete da Presidência da República em São Paulo, na esquina da Paulista com a Rua da Consolação, para pedir à presidenta Dilma Rousseff a abertura imediata dos arquivos da ditadura, a pela punição dos assassinos e torturadores. A manifestação é pelo cumprimento da sentença da corte interamericana de direitos humanos e por uma Comissão da Verdade livre, soberana e independente.
A Câmara dos Deputados acaba de aprovar projeto de lei que institui uma Comissão da Verdade para apurar os crimes cometidos pelos militares, como exigido pela OEA. Mas da forma como foi aprovada, a Comissão pode se tornar inoperante, servindo para esconder em vez de revelar e punir os autores de torturas, assassinatos e desaparecimentos. Durante a manifestação, será entregue Carta Aberta à população.

O povo precisa conhecer a verdade

Os crimes contra os direitos humanos cometidos pela ditadura civil-militar, que governou o Brasil de 1964 a 1985, ainda não foram julgados. Seus responsáveis, torturadores, assassinos, empresários e empresas que financiaram a repressão política no Brasil, estão impunes até hoje.

Nesse período foram centenas de mortos e desaparecidos políticos e milhares de brasileiros foram ilegalmente presos e torturados.
Os documentos que comprovam esses crimes continuam guardados em segredo nos arquivos das Forças Armadas. Exigimos a abertura desses arquivos porque podem ajudar os familiares das vítimas a localizarem os corpos de seus parentes. A Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA condenou nosso país por esses crimes e exigiu que o governo os julgasse e os tornem públicos. O prazo para que o Brasil cumpra a sentença expira em novembro deste ano.

Outros paises da América Latina, como Chile, Argentina, Guatemala e El Salvador fizeram suas Comissões da Verdade que já apresentaram resultados. Muitos criminosos foram punidos e a Justiça foi feita.
A Comissão da Verdade de nosso país seria uma resposta a esta situação absurda. Porém, da maneira que está escrita no Projeto de Lei 7376/10 será ineficaz.
Para garantir a criação de uma Comissão da Verdade autônoma, soberana e independente foi criado o Comitê Paulista pela Memória, Verdade e Justiça para lutar pela abertura imediata dos arquivos, apuração e punição dos crimes da ditadura e defesa da memória daqueles que lutaram e resistiram à ditadura, além do cumprimento da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Temos a certeza de que a apuração e o julgamento dos crimes da ditadura, além da divulgação dos documentos sigilosos são essenciais para a consolidação da democracia e para esclarecer um período muito pouco conhecido da História do Brasil.

Fonte: UBES

CARTA ABERTA À DIRETORIA DA FACULDADE DE DIREITO DO RECIFE



Na próxima segunda-feira, dia 03/10, o salão nobre da Faculdade de Direito do Recife será reaberto em comemoração aos 100 anos do prédio histórico. O convidado para proferir uma palestra alusiva à data foi o ex-senador Marco Maciel e isso virou motivo de polêmica. Alguns professores ameaçam boicotar a solenidade porque Marco Maciel foi aliado da ditadura militar.
O convite ao ex-senador para palestrar ensejou o envio da seguinte carta à diretora da Faculdade, Luciana Grassano, e aos colegas docentes, pela professora Larissa Maria de Moraes Leal.

Cara Diretora do CCJ - UFPE - Faculdade de Direito do Recife, Profa. Dra. Luciana Grassano
Caros colegas docentes,
Cumprimentando-os cordialmente, venho, preliminarmente, parabenizar nossa Diretora, Profa. Luciana Grassano, por mais este importante passo na restauração de nossa casa, o prédio da Faculdade de Direito do Recife. Um trabalho primoroso, bem conduzido e realizado que, sem dúvidas, nos trouxe mais que conforto. Temos, atualmente, a satisfação de exercermos nosso ofício em um edifício dotado da dignidade que sempre lhe foi devida. O cuidado deferido à nossa edificação tem reflexos largos, porquanto seja toda a sociedade beneficiária do resgate de integridade desse patrimônio histórico. Assim, registro meus agradecimentos sinceros e fraternos, bem como o meu reconhecimento.
Por ocasião da Solenidade de Reabertura do Salã o Nobre, venho, ainda que comprendendo a circunstância de absoluta felicidade institucional, registrar meu singelo e firme protesto referente ao Conferencista brindado pela ocasião. Foi no Salão Nobre que muitos de nós defenderam suas dissertações de mestrado, teses de doutorado, assistiram e participaram de debates acalourados; foi também neste salão que, em várias situações, professores e alunos reuniram-se simplesmente para exercerem o seu legítimo direito de pensar, dialogar e dar máxima expressão à própria idéia sobre a qual construimos, diariamente, a nossa Faculdade.
Todos esses fatos fazem parte da história da Faculdade de Direito do Recife, tão bem contada pelo saudoso Prof. Dr. Gláucio Veiga. No volume 2 de sua obra sobre a história das ideias, das ações e do papel de nossa Faculdade, Prof. Gláucio dedicou seu trabalho a todos aqueles que morreram porque ousaram pensar. Em tempos difíceis, nossa Faculdade representou, ao menos no imaginário de muitos, um oásis onde era possível pensar! Entrementes, sabemos que, nesses mesmos tempos, pensar na Faculdade tornou-se algo perigoso. Sob as vistas dos ditadores, foram os professores e alunos da Faculdade vítimas preferenciais de restrições e toda sorte de agressões a direitos humanos.
Esses tempos, infelizmente, são reféns de nossa memória. É em nome dessa memória - que não podemos negligenciar - que apresento meus protestos referentes à eleição do ex-senador Marco Maciel como conferencista da ocasião de reabertura do Salão Nobre da Faculdade. Entendo, com meus botões, que sua presença, em condição tal de honraria - e acredito ser de honra extrema proferir conferência no Salão Nobre da Faculdade de Direito do Recife, em sua reabertura - fere a memória viva de lamentáveis fatos ocorridos na própria Faculdade no final da década de 60 e durante a década de 70. Fere diretamente professores da casa, que, então, foram perseguidos porque pensavam; fere professores que foram, inclusive, expulsos de casa, para tornarem-se estrangeiros em busca de Justiça em outros países, exilados da Faculdade; fere a mim, pessoalmente, que vivenciei a potencialidade lesiva da ditadura, e convivo com fotos de parentes que sequer tive oportunidade de conhecer, em cartazes de busca por desaparecidos afixados em nosso prédio . Fere, por fim, em minha opinião, todos os nossos alunos que, sem experiências pessoais sobre esse período tenebroso, precisam de nossas memórias e de nossa voz para conhecerem esse mal absoluto que é a restrição da liberdade.
Não tenho nenhuma queixa pessoal dirigida ao ex-senador Marco Maciel para apresentar aqui. O que tenho é a convicção e o conhecimento de sua trajetória política; nos tempos em que convivemos com a divisão entre ditadores e cidadãos, sei que nossa Faculdade ficou aliada aos cidadãos, postura contrária do Conferencista convidado.
Por certo, como acadêmica, não devo ter preconceito com ideias. Mas a distância no tempo, pouco mais de 30 anos, apenas o tempo de minha vida, não pode ser suficiente para apagar de nossa história e memória o passado a que aludi.
Se, durante a ditadura, o maior desafio do cidadão era pensar e manifestar-se, hoje, penso eu, o que mais nos constrange é o dever de não calar, de não tolerar por comodidade e de não negligenciar nosso legado. São tempos diferentes, é claro. Os protestos desapareceram para dar lugar ao individualismo e à busca de conquistas patrimoniais. Não há voz nas ruas ou nas praças. É o silêncio obsequioso, chamado de tolerância, que incomoda alguns poucos legatários de tanto sofrimento do passado.
Meu protesto, portanto, segue as diretrizes atuais: infelizmente a presença do conferencista constrange a mim, em tão alta medida, que não me permitirá participar desse momento histórico. Protesto por meio dessas palavras, de minha ausência e de um pedido. Se algum documento resultar da solenidade da próxima segunda-feira, dia 03 de outubro, solicito que minha ausência seja registrada como forma de protesto silencioso e pacífico.
Eu não sei se nós teremos os benefícios de, dentre nós, haver um novo docente dedicado a contar a história da Faculdade de Direito do Recife, como fez o Prof. Gláucio Veiga; mas, se houver, os relatos da próxima segunda-feira farão o histórico dos fatos passados nas décadas de 60 e 70 do século XX darem uivos de terror... o terror da superação das ideias e da liberdade pelo tempo; o terror da negligência da história dos que se foram, em nome do que agora está.
Cordialmente,
Profa. Dra. Larissa Maria de Moraes Leal.

ATENÇÃO PARA A ÚLTIMA CHAMADA!


Comissão FICA UERN convoca reunião EXTRAORDINÁRIA!
Quando? amanhã (sábado)!
Onde? Escola MODELO - Nova Cruz/RN
que horas? 9 horas da manhã!
Assunto? Estruturação do I DEBATE em prol da UERN! Relatório da verdeira situação do Núcleo da UERN de Nova Cruz! Viagem a Natal (audiências) e outros encaminhamentos.

Participe!

Jacaré Parado Vira Bolsa de Madame!
"O sonho é uma realidade, realizá-lo será a nossa meta!" - Eduardo Vasconcelos

CTB - CULTURA E MÍDIA

Atores de “Hoje” defendem que crimes da ditadura não caiam no esquecimento


dita_hoje

Em meio à discussão no Congresso Nacional sobre a criação da Comissão da Verdade, um dos pontos polêmicos do Plano Nacional de Direitos Humanos, o filme Hoje, de Tata Amaral, defende a necessidade de "não esquecer" os crimes ocorridos durante a ditadura militar. O longa-metragem, que chegará às telas no próximo ano, e foi exibido nesta quinta-feira, (29) no 44º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

A Comissão da Verdade foi aprovada na Câmara no último dia 21 e está no Senado aguardando para ser votada. Grupos que apoiaram a ditadura classificaram como "revanchismo" a iniciativa, proposta no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O filme vai na direção contrária. O longa-metragem lança luz sobre o que se passou nos porões da ditadura para que o país possa debater e cicatrizar as feridas dos passado. Tudo isso tratado em um espaço íntimo de um apartamento.

A atriz Denise Fraga vive o papel de Vera, uma ex-militante política, no filme. Em entrevista à Agência Brasil, ela defendeu a necessidade de se lembrar do passado. Para a atriz, não se deve ficar remoendo o passado, mas também não dá para esquecer as atrocidades da ditadura. “Não dá para simplesmente fechar o baú. Além disso, é necessário ter acesso à história. Não dá para trancar a história, ter um parente desaparecido e não ter direito de saber o que aconteceu com ele.”

Denise Fraga disse que Vera, pela profusão de sentimentos, foi uma das personagens mais complexas que já interpretou. "Talvez seja a mais complexa personagem que eu tenha feito. É um filme cheio de camadas de sentimentos. Vera é uma ex-militante política, que passou por tortura, teve o marido desaparecido e está tentando se refazer. O filme ajuda a gente a ver, rever e pensar sobre as pessoas que passaram por esse período [a ditadura].”

O ator uruguaio Cesar Troncoso, de O Banheiro do Papa, também participou do filme Hoje. Ela conta que em seu país ainda paira a mesma falta de acesso a informações sobre os crimes da ditadura militar.

Na sua opinião,”Hoje” não estimula a remoer o passado, mas oferece uma oportunidade de "construir um futuro" sem os mesmos erros. "Quando há uma coisa terrível em sua vida, não dá para esquecê-la. Lembrar não significa olhar para trás e sim olhar adiante. Eu tenho uma filha de 13 anos. Quando ela tiver 20 anos, as pessoas podem querer repetir o que já foi feito e ela precisará saber o que não se pode aceitar".

Troncoso deu uma interpretação introspectiva à sua personagem no filme. Recorreu pouco às palavras, mas com uma expressividade que passa o peso do sofrimento de quem foi torturado. "Para mim, a importância das coisas está no olhar, está no silêncio", destacou Troncoso. "O silêncio tem a possibilidade de ser uma coisa muito pesada. Um filme como Hoje, que tem tanta sensibilidade, tem muita coisa que não são ditas, mas estão ali. Não sei se isso vai ser dito no filme, espero que sim. É um filme de olhares.”

Fonte: Agência Brasil

COMISSÃO FICA UERN REALIZA AMANHÃ (01) REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA


A Comissão FICA UERN se reúne amanhã (sábado) as 9h na Escola MODELO para discutir as estruturas do I DEBATE EM PROL DA UERN, Relatório da Verdadeira Situação do Núcleo da a UERN em Nova Cruz/RN, Viagem a Natal, entre outros encaminhamentos.
"A participação de todos é de fundamental importância para o fortalecimento da LUTA EM PROL do CAMPUS! Só assim a UERN não ficará refém de gestores municipais descomprometidos com a educação dos seus municípios". concluiu Eduardo Vasconcelos, membro da comissão.

UBES ESTARÁ NO ATO EM BRASÍLIA POR VERBAS DO PRÉ-SAL PARA EDUCAÇÃO E C & T


A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), juntamente com a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Associação Nacional dos Pós-Graduados (ANPG) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) fazem, nesta quinta-feira (29), um ato em favor da destinação de parte dos royalties do pré-sal para ciência . As entidades defendem a proposta abraçada pelo ministro Aloizio Mercadante, de destinação de 30% dos roialties para Educação e 7% para Ciência, Tecnologia e Inovação.

O evento será às 15h, no plenário 1 do anexo 2 da Câmara dos Deputados, em Brasília. Foram convidadas entidades educacionais, científicas e empresariais, ministros, deputados e senadores.

A UBES participa do ato, embora mantenha a campanha inciiada em 2009, em parceria com a UNE e a ANPG pela destinação de 50% das verbas do fundo social do pré-sal para Educção, Ciência e Tecnlogia. A bandeira das entidades estudantis tem força no Senado.

Royalties em acordo…

As regras da divisão dos lucros gerados pela exploração de petróleo na camada do pré-sal, descritas no projeto de lei 8.051/2010 e apresentadas pelo deputado Fernando Jordão (PMDB-RJ), estão na pauta de votação na Câmara dos Deputados. O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) apresentou uma emenda que garante a destinação de 50% das verbas do fundo-social do pré-sal para Educação.

A pedido da ANPG, o senador concordou em incluir ciência e tecnologia neste percentual. A emenda tem força no Senado que, por proposta do senador Cristóvão Buarque (PDT-DF), deve aprovar, ainda, a vinculação de 80% desses recursos da educação para investimento na educação básica.

Na última terça- feria (27) o governo não entrou em acordo nas tentativas de divisão, porém a data limite para sua resolução com o parlamento é até 5 de outubro A UBES sabe que investir em Educação é garantir um Brasil soberano, com menos desigualdade e progresso efetivo, por isso permanece firme e forte na luta pelos 50% do Fundo Social do Pré-Sal para Educação com secundaristas de todo Brasil!
Quando? 29/09 – às 15hs
Onde? Plenário 1 do anexo 2 da Câmara dos Deputados
Por quê? Ato em Brasília por investimento dos Royalties do Pré-Sal para Educação
Fonte: UBES

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

DIA 04 DE OUTUBRO: ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR DE NOVA CRUZ/RN

Próximo dia 04 de outubro (terça-feira), será realizada as eleições do Conselho Tutelar de NOVA CRUZ/RN, as votações serão ocorridas nas dependências da Escola Municipal NESTOR MARINHO, das 8 as 17h. O eleitor deverá levar o titulo e identidade.

Estarão concorrendo as 05 vagas, 07 candidatos, que são eles:


ANTONIA DA SILVA RAIMUDO

GRECIA MARIA VIEIRA

JEANE XAVIER DA COSTA

IVANILDA LAURENTINO DA COSTA

VAGNO LUIZ DA SILVA

VALMIR BERNARDINO DE OLIVEIRA JUNIOR

ZENAIDE DA COSTA DOGE


É importante que os eleitores antes de votar procurem conhecer melhor os candidatos, saber as propostas dos mesmos, seus serviços prestados voltados para a criança e o adolescente. Lembrar não custa NADA! "Voto Não Tem Preço! Tem Consequência!


APOSTE EM EXERCÍCIOS PARA A SAÚDE DO SEU CORAÇÃO



Eleve a frequência cardíaca para combater infarto, colesterol alto e hipertensão

por Minha Vida

Para garantir um coração saudável, os médicos recomendam um remédio milagroso, movimentar o corpo. Quando fazemos exercícios regularmente, o coração trabalha com mais eficiência e sem ter que fazer tanto esforço. O sangue flui melhor e as artérias e vasos ficam mais flexíveis e saudáveis. Tudo isso previne o risco de doenças cardiovasculares, como infarto, colesterol alto, derrame e hipertensão.

"Enquanto uma pessoa sedentária tem de 80 a 100 batimentos por minuto, uma pessoa condicionada está entre 60 e 70 batimentos por minuto", explica o professor de educação física Paulo Mazzeu, da academia Competition, de São Paulo. Pode parecer pouco, mas essa melhora na eficiência diminui em 40% o risco de complicações cardiovasculares.

Para favorecer o sistema cardiovascular, os exercícios precisam elevar a frequência cardíaca. "É o caso da caminhada, da bicicleta, da natação, corrida, aulas de step e jump fit", recomenda Paulo Mazzeu. Confira, a seguir, por que essas atividades fazem tão bem ao músculo vital e quais as variações de treino que favorecem a saúde cardiovascular.

Você não precisa passar duas horas na academia todos os dias para proteger o coração. Mesmo pequenas quantidades de atividade física podem reduzir o risco de doença cardíaca, diz um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Harvard (EUA).

Segundo a pesquisa, praticar 150 minutos - o equivalente a duas horas e meia - de exercícios por semana diminui o risco de doença cardíaca em 14%. Essa porcentagem aumenta de acordo com a quantidade de exercícios praticados.

"O mais importante é que faça com regularidade, pois seus efeitos benéficos não são mediatos, mas, sim, a médio e longo prazo", explica o cardiologista Cláudio Baptista, da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).

Varie os exercícios

Os grandes especialistas em saúde cardiovascular sugerem que a variação da modalidade é mais benéfica do que a manutenção da mesma atividade aeróbia. "Desta forma, se eu faço natação na segunda-feira, corrida na quarta-feira e pedalo no final de semana, eu propicio maior benefício à saúde cardiovascular do que a mantendo o mesmo gasto esportivo", aponta o professor de educação-física. A variação de treino contínuo e intervalado também mostrou-se mais eficaz no aumento do consumo de oxigênio.
Vejam fotos acima.
Fonte: YAHOO.COM

CÂMARA APROVA CRIAÇÃO DA COMISSÃO DA VERDADE


Sete membros indicados pela presidenta, Dilma Rousseff, entre brasileiros de reconhecida idoneidade e conduta ética participaram da Comissão

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (21) o projeto de lei do Poder Executivo, que cria a Comissão Nacional da Verdade, no âmbito da Casa Civil da Presidência da República. A comissão tem como objetivo esclarecer os casos de violação de direitos humanos ocorridos entre 1946 e 1998, o que inclui o período da ditadura militar. O parecer aprovado pelos deputados foi apresentado pelo relator, deputado Edinho Araújo (PMDB-SP). O projeto segue agora à apreciação do Senado Federal.

Inicialmente, o relator havia recomendado a aprovação do texto original do governo, mas em virtude das negociações, ele acatou emenda para melhorar o texto e também viabilizar sua aprovação. Segundo Edinho Araújo, a criação da comissão é uma reivindicação histórica da sociedade . “A exemplo de comissões criadas em outros países, essa é uma iniciativa para a reconciliação nacional”.

Para viabilizar a votação, compareceram à Câmara os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, entre outras autoridades do governo envolvidas na questão. O governo teve que ceder em alguns pontos e acatou emendas do DEM e do PSDB. A emenda do DEM trata de critérios sobre a escolha dos membros da comissão.

A emenda estabelece que não poderão participar da comissão: pessoas que exerçam cargos executivos em agremiação partidária, com exceção daqueles de natureza honorária; não tenham condições de atuar com imparcialidade no exercício das competências da comissão e estejam no exercício de cargo em comissão ou função de confiança em quaisquer esferas do Poder Público.

A emenda do PSDB acatada nas negociações estabelece que qualquer pessoa citada pela comissão ou que queiram esclarecer algum fato pode solicitar ao colegiado para ir prestar esclarecimentos.

O líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), que atuou de forma intensa nas negociações para a aprovação da Comissão da Verdade, disse que o objetivo foi produzir um texto que garantisse o conteúdo da comissão, que “é esclarecer os fatos e, após os esclarecimentos desses fatos, não terá nenhuma perseguição e nenhum desdobramento judicial. O intuito é do esclarecimento”, disse.

A Comissão Nacional da Verdade será composta de sete membros indicados pela presidenta da República, Dilma Rousseff, entre brasileiros de reconhecida idoneidade e conduta ética, identificados com a defesa da democracia e institucionalidade constitucional, bem como com o respeito aos direitos humanos. Os membros da comissão serão designados com mandato de duração até o término dos trabalhos da comissão, a qual será considerada extinta após a publicação do relatório final.

Nas votações dos destaques, os deputados aprovaram dispositivo do PPS, que determina o envio de todo o acervo apurado ao Arquivo Nacional. Os deputados rejeitaram destaque apresentado pelo deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que proibia a denúncia criminal ou aplicação de sanção punitiva de qualquer tipo aos militares que se recusarem a colaborar com a Comissão da Verdade.

Agência Brasil

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Começa o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

44º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO

Ministra Ana prestigia abertura do Festival que terá seis longas disputando o Troféu Candango

O filme Rock Brasília – Era de Ouro do cineasta Vladimir Carvalho emocionou a plateia na cerimônia de abertura do 44º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realizada na noite desta segunda-feira (26), na Sala Villa Lobos do Teatro Nacional Cláudio Santoro, em Brasília. O documentário, exibidohour concurs do festival, trouxe a memória das bandas de rock dos anos 80, nascidas na Capital da República, como Legião Urbana, do legendário roqueiro Renato Russo, Capital Inicial e Plebe Rude.

Vladimir Carvalho, muito aplaudido pelo público presente, trouxe pela primeira vez ao telão, a história de rebeldia de uma geração criada em meio à burocracia de Brasília, dos anos 80, que ainda convivia com resquícios do autoritarismo do governo militar: a “Geração Coca-Cola”, celebrizada nas composições de Renato Russo.

O cineasta, que há muitos anos está radicado na Capital da República, completa com este filme, uma trilogia sobre a história da cidade, que teve início com a saga dos pioneiros em Conterrâneos Velhos de Guerra, passando pela resistência à ditadura com Barra 68 – Sem Perder a Ternura.

Presenças Ilustres

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, acompanhada da secretária do Audiovisual, Ana Paula Santana, e do secretário-Executivo do Ministério da Cultura (MinC), Vitor Ortiz, foram prestigiar a solenidade de abertura do festival. A ministra disse ter gostado muito do filme e lamentou não saber de cor a letra de todas as músicas para poder cantar, como fez a secretária do Audiovisual, brasiliense nata e grande admiradora das bandas. “O rock de Brasília é um orgulho para quem nasceu na cidade”, comentou a secretária.

Em breve entrevista à imprensa, na entrada do festival, a ministra parabenizou a iniciativa da Secretaria de Cultura do Distrito Federal por ter estendido a realização da mostra competitiva também às cidades-satélites de Brasília. Ela disse que a decisão reforça as políticas públicas do Ministério da Cultura, de ampliar o acesso da população aos bens e serviços de Cultura.

O diretor Vladimir Carvalho, em sua fala no início da solenidade, agradeceu ao MinC e ao Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC) pelo apoio recebido para a realização da obra. Ele se disse emocionado e muito honrado com a oportunidade de exibir Rock Brasília – Era de Ouro na abertura do festival.

Inovações

A 44ª edição do festival, que termina dia 3 de outubro, está sendo marcado pelas inovações em seu formato, na busca da reconquista do velho glamour da mais tradicional festa do cinema do país. A data foi antecipada para o mês de setembro, filmes digitais e de animação foram admitidos nas mostras competitivas, foi abolida a exigência do ineditismo na seleção das obras e a mostra competitiva passou a ser exibida simultaneamente no Cine Brasília, no Plano Piloto, espaço tradicional do festival, com salas de cinema nas cidades-satélites de Taguatinga, Ceilândia e Sobradinho.

As mudanças parecem ter sido bem absorvidas pelos cineastas que realizaram, este ano, uma das mais expressivas participações no festival. Foram inscritos 624 filmes de todas as regiões do país, tendo sido selecionados 30 para a mostra competitiva, sendo seis longas-metragens e 24 curtas, entre eles 12 de animação. Os longas que estão concorrendo ao troféu Candango de Ouro são: As Hipermulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro; Hoje, de Tata Amaral; Meu País, de André Ristum; Trabalhar Cansa; de Juliana Ramos e Marcos Dutra; O Homem que Não Dormia, de Edgard Navarro; e Vou Rifar Meu Coração, de Ana Rieper.
Veja aqui a programação do Festival.

Fonte: MINC/(Texto: Patrícia Saldanha, Ascom/MinC)
(Fotos: Lula Lopes, Ascom/MinC)

PRÊMIO NACIONAL DE EXPRESSÕES CULTURAIS AFRO-BRASILEIRAS


O auditório Gilberto Freyre, no Palácio da Cultura Gustavo Capanema, localizado na Rua da Imprensa, centro do Rio de Janeiro, será o palco do lançamento da 2ª edição do Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras, nesta quarta-feira (28), a partir das 18h. Realizado pela Fundação Cultural Palmares (FCP) em parceria com o Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves (Cadon), o prêmio tem como objetivo estimular e incentivar as expressões artísticas de estética negra.

A premiação é dividida em três categorias: artes visu

ais, dança e teatro. Poderão se inscrever pessoas jurídicas de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, que trabalhem com a temática cultural negra. Serão contemplados 20 projetos, quatro por região do País, inéditos ou não, a serem concretizados em 2012, totalizando assim um investimento de R$1,1 milhões de reais em prêmios.

As inscrições poderão ser feitas, gratuitamente, no período de 10 de outubro a 24 de novembro de 2011 e poderão ser preenchidas diretamente na página do Prêmio: www.premioafro.org.

Prêmio

A edição 2011 do Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras é dedicada às comemorações do Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes. Coordenado pelo Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-brasileira (DEP) da FCP, a ação é uma forma de reconhecimento às expressões artísticas e culturais, contribuindo para a continuidade de suas atividades.

A cerimônia de lançamento, promovida pela FCP, reunirá 300 convidados e contará com uma apresentação cênico-musical da atriz Iléa Ferraz, com uma adaptação especial, para ocasião, de A Botija de Ouro, de Joel Rufino. A cerimônia contará com as presenças do presidente da Fundação Cultural Palmares Eloi Ferreira de Araujo, da presidente do Cadon, Ruth Pinheiro, além de representantes da Petrobras que apóia o prêmio.

Edição de 2010

A primeira edição do Prêmio, realizada em 2010, foi elaborada a partir do contato com os grupos, artistas e companhias, que trabalham com a produção artística de matriz africana, e em atendimento à demanda do Fórum de Performance Negra. Foram contemplados vinte projetos das cinco regiões brasileiras, totalizando mais de R$ 1 milhão de reais em prêmios.

Os projetos inscritos à edição de 2010 serão avaliados por uma comissão de membros indicados, e serão considerados os critérios de excelência artística, histórica e efetiva contribuição artística para a cultura afro-brasileira, pertinência do conteúdo à questão afro-brasileira, qualificação dos profissionais e viabilidade técnica de execução. Após a divulgação dos resultados, será realizada uma cerimônia de premiação para os vinte projetos vencedores.

(Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC) (Fonte: FCP/MinC)

NÚCLEO DA UERN: REELEMBRANDO UM POUCO A HISTÓRIA E A LUTA DOS ESTUDANTES



AUDIÊNCIA PÚBLICA EM DEFESA DA UERN









Seguências das fotos: de cima para baixo: Eduardo Vasconcelos-CPC/RN e ANE/RN, Dr. Cid Arruda Câmara, Juiz, Dr. Ricardo Faria, Protesto dos Estudantes e última Passeata Rumo a Câmara dos Vereadores de Nova Cruz/RN.




Na última quinta-feira (16) , a Câmara dos Vereadores de Nova Cruz/Rn, promoveu uma Audiência Pública para discutir e debater o caso UERN x Prefeitura, após a não publicação do edital do vestibular de 2011, onde não constava a realização do vestibular para o Curso de Direito, o que sofreu uma reação da sociedade em geral, só que a prefeitura de Nova Cruz, disse que a culpa era da UERN e a UERN disse que a culpa era da prefeitura, pois segundo a UERN a prefeitura não vinha cumprindo com o CONVÊNIO, ou seja, não vinha dando a infraestrutura necessária para o funcionamento do curso. Preferimos ficar com a posição da UERN, por entender que a UERN é uma instituição que a mais de 40 anos vem formando jovens e é reconhecida nacionalmente como uma das melhores do Rio Grande do Norte , também conversamos com a Chefe de Gabinete da Reitoria, profª Francisca Glaudionora da Silva, que nos garantiu a transparência, completou: " Há seis (06) meses que tantamos um contato com a prefeitura e não obtivemos resposta, inclusive o próprio reitor ligou do seu próprio celular para o prefeito e não obteve resposta.", concluiu. A audiência foi bastante participativa, a mesa foi composta pelos vereadores Antonio Gomes (presidente), Nia de Pedro Salú, Fernando Bezerra, Beto Martins, Gelson Vitor, Manga Rosa e Dinho, além do Juiz de Direito Civil, dr. Ricardo Farias, Dr. Cid Arruda Câmara, Professora Cilene, secretária municipal de educação do municipio, prof. Francinaldo Matias, coordenador do Núcleo da UERN, estudantes, Carlos Eduardo (ciências da computação da UERN), Vanderson, estudante do curso de direito da UERN, Sidney Soares, representado a Comissão FICA UERN, profª Nevinha (3ª DIRED), profª Ana, representando a UERN, entre outros. Destaque na audiência foi as participações do Juiz, dr. Ricardo Farias, onde o mesmo entregou documento, juntamente com o Ministério Público, propondo parceria com a UERN para que os estudantes do curso de direito possam estagiar na estrutura da 12º Comarca de Nova Cruz/RN, depois a proposta de Dr. Cid Arruda, que propõs a UERN para que a reitoria enviasse a Assembléia Legislativa um projeto de lei, transformando o núcleo de Nova Cruz em Campus Avançado e por último, Sidney Soares, representando a Comissão FICA UERN, que leu o convênio, tornando público o teor da parceria entre UERN e Prefeitura Municipal de Nova Cruz. Houve também denúncias por parte dos estudantes, Carlos Eduardo, estudante da Ciências da Computação, onde ele falou que dos 11 (onze) computadores, só 03 (três) estão em funcionamento e Vanderson, estudante do Curso de Direito, falou que a biblioteca só dispõe de 03 (três) livros para 10 (dez) alunos, ou seja, se passarem um trabalho para os 10 estudantes, sete ficarão sem os livros, é mole? Pela parte da platéia, o presidente do CPC/RN, Eduardo Vasconcelos, simplificou: " A confusão se deu pela quebra de cumpromisso por parte do senhor prefeito, Flávio Azevedo, concluiu. Fanalizado a audiência a expectativa se volta agora para a reunião que o Reitor, prof. Milton Marques vai ter primeiro com a Comissão FICA UERN e em seguida com o senhor prefeito de pé no chão! Vamos aguardar, agora lembrando que a sociedade está de olho! e vamos á luta!

CONSTRUA SEU GRÊMIO ESTUDANTIL

GRÊMIO ESTUDANTIL: SAIBA O QUE É E COMO PARTICIPAR

O GRÊMIO SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ! PARTICIPEM!
Principal ferramenta de reivindicação do jovem estudante, o grêmio estudantil se destaca por dar maturidade de vida aos jovens estudantes. Confira quais os passos para montar um grêmio estudantil na sua escola. " Qual o estudante que nunca se deparou e se perguntou o motivo pelo qual algum setor na escola muitas vezes não funciona, por exemplo, a quadra poliesportiva com piso danificado ou a biblioteca sem livros suficientes? Pois é. Fatos como este acontecem de forma recorrente em muitas instituições brasileiras. Fonte UBES/UNE. Primeiro Passo: Chamar a Galera prá discutir e em seguida criar a Comissão Pró-Grêmio. Segundo Passo. A Comissão Pró-Grêmio elebora uma proposta de ESTATUTO, que será discutido e aprovado em Assembléia Geral para este fim. Terceiro Passo: Após a aprovação do estatuto, na própria Assembléia Geral, cria-se a Comissão Eleitoral que irá encaminhar as Eleições do grêmio, como elaborar o Regimento das eleições, fiscalizar as referidas eleições, apurar os votos e dar posse a chapa eleita. Quarto Passo: Mãos a Obras! Lembrando que tudo tem que ser lavrado em LIVRO DE ATA: A) Ata da Reunião que cria a Comissão Pró-Grêmio. B) Ata da Assembléia Geral para Aprovação dos Estatutos

PORTAL DA UPES

Ato pela educação e contra corrupção, levará milhares de estudantes amanhã às ruas de Curitiba

Com o objetivo de reivindicar melhorias na educação paranaense e brasileira, grêmios estudantis e diretórios centrais de estudantes de diversas universidades e escolas de Curitiba deixarão os bancos escolares para um ato realizado pelas entidades estudantis e movimentos sociais.


Nesta Quarta Feira (28) a União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES) e a União Paranaense dos Estudantes (UPE), em parceria dos movimentos sociais do Estado Paraná, realizarão um Ato Público que defenderá os interesses da Educação. Em contra partida, o ato, pautará diversas reivindicações da sociedade aos recentes casos de corrupção e irregularidades que se instaurarão nos últimos meses na política paranaense.

O Movimento CORRUPÇÃO TAMBÉM É VIOLÊNCIA, que discute na sociedade curitibana á meses, junto com a UPES e a UPE, a cassação do então presidente da Câmara Municipal de Vereadores João Claudio Derosso (PSDB) vem em uma grande mobilização em toda sociedade para debater a real efetivação da cassação do presidente, que há dias atrás foi apenas afastado por 90 dias.

Segundo o presidente da UPE, Rafael Bogoni, esse ato servirá para legitimar a indignação estudantil da capital e do estado do PR, perante a situação da educação nas universidades e escolas e também lutar contra os atos de corrupção que vem sendo pauta das principais lutas das entidades.

"Para nós é de extrema importância a discussão sobre a situação da nossa educação, amanhã toda a sociedade pautará sua indignação pedindo mais investimentos na educação e gritará contra Derosso, exigindo sua cassação. Pois acreditamos que os principais problemas da educação atualmente é devido a questões financeiras. vamos as ruas pelos 10% do PIB da Educação e 50% do Fundo Social do Pré Sal para Educação e pelo Fora Derosso!" disse Rafael

JUNÇÃO DE TURMAS

A UPES (União Paranaense dos Estudantes Secundaristas) vem debatendo a questão da lei de Junção de Turmas, como uma das principais pautas de reivindicações para a melhoria da educação básica no estado, de fato essa luta se intensificará, segundo o vice presidente da UPES, Felipe Barreto.

"Com mais de mil estudantes secundaristas mobilizados não só Curitiba, como São José dos Pinhais e diversos universitários estaremos no Ato amanha para legitimar a nossa indignação em relação aos desvios de mais de 30 milhões de reais da Câmara Municipal de Vereadores de Curitiba, e também pautaremos a questão da Junção das Turmas na Rede Estadual de Ensino, hoje sabemos que esse projeto de lei do Governo do Estado que já vem infringindo o direito do estudante de ter acesso a uma educação de qualidade na escola, causa diversas problemáticas em nossa comunidade escolar, e isso deve ser questionado" disse Felipe

O que? ATO PELA EDUCAÇÃO E CONTRA CORRUPÇÃO
Onde? Curitiba PR, Praça Santos Andrade
Quando? 28 de Setembro de 2011
Como? www.portaldaupes.blogspot.com / www.upepr.com.br