SOMOS CONTRA A QUALQUER TIPO DE DISCRIMINAÇÃO

SOMOS CONTRA A QUALQUER TIPO DE DISCRIMINAÇÃO
RACISMO É CRIME!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

CONSCIÊNCIA NEGRA É PRECISO REFLETIRMOS!


O Dia Nacional da Consciência Negra tornou-se lei através de muitas lutas não só no campo do preconceito ou da discriminação para com o negro brasileiro, mas para que nesse dia possamos fazermos uma REFLEXÃO DE PENSAMENTO e referendar aquele que morreu LUTANDO em prol da LIBERDADE DO NEGRO BRASILEIRO: ZUMBI DOS PALMARES!: E o dia 20 DE NOVEMBRO é uma data para que possamos refletir também nossas próprias atitudes, ações ou mesmo preconceito consigo mesmo.

Pois vejamos, nós não gostamos quando nos chamamos de negão ou outro nome, mas no momento em que o movimento negro conclama-nos, o que fazemos? Onde estava você do dia 20? Várias capitais e interiores por esse Brasil houve atividades em comemorações ao dia da Consciência Negra, promovido pelos governos ou entidades de classes, e você onde estava? Na praia, no barzinho? em casa? namorando?

Em alguns eventos, principalmente em lugares onde o negro predomina houve mais presenças de brancos de que negros, por que? Não quer dizer que somos contra, muito pelo contrário! Somos totalmente a favor, pois somos todos brasileiros!

Tá na hora de refletirmos nossas ações e atitudes! Zumbi dos Palmares não morreu em vão!

Você, junte-se a nós!

Negro é a pele mais linda! Eu adoro a minha! E você?

Cosnciência começa em casa!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA NO RIO, FOI UM SUCESSO!

Orquestra Berimbau do Mestre Camisa
Esses dias no Rio de Janeiro a semana foi voltada para as comemorações ao Dia Nacional da Consciência Negra. Muita festa e arpesentações de grupos que retratou a cultura dos negros e as homenagens ao grande lider negro, ZUMBI!.

A Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro promoveu vários eventos em vários pontos da cidade, em detalhe evento realizado na Praça Tiradentes.

Eduardo Vasconcelos, presidente do Centro Potiguar de Cultura - CPC-RN participou de vários eventos. Cnfira as fotos acima.

sábado, 19 de novembro de 2011


Existe um povo que a bandeira empresta

P'ra cobrir tanta infâmia e covardia!...

Em manto impuro de bacante fria!...

E deixa-a transformar-se nessa festa

Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta,

Que impudente na gávea trípudia?

Silêncio. Musa... chora, e chora tanto

Que o pavilhão se lave no teu pranto!...

Auriverde pendão de minha terra,

Que a brisa do Brasil beija e balança.

Estandarte que a luz do sol encerra

E as promessas dívinas da esperança...

Tu que, da liberdade após a guerra,

Foste hasteado dos heróis na lança

Antes te houvessem rota na batalha,

Que servires a um povo de mortalha!..

*Trecho de Navio Negreiros, de CASTRO ALVES.

NINGUÉM DETÉM O TREM DA HISTÓRIA!

E os negros, agora libertos, que destino tiveram? Ora, não houve reforma agrária para que dispusessem de terra para trabalhar; os postos de trabalho nos cafezais e nas indústrias dos principais centros econômicos do país estavam ocupados pelos imigrantes. No Brasil os negros não passaram da escravidão clássica para a escravidão assalariada do capitalismo, e sim para a exclusão social. Foram se amontoar nas favelas e mocambos, nos morros e áreas ribeirinhas. A tragédia social, conhecemos bem nos dias de hoje!

Por isso que o DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA é 20 de novembro. Data em que ZUMBI DOS PALMARES foi assassinado pelas tropas de Domingos Jorge Velho, bandido paulista, caçador de índios e negros, financiado pelos senhores de engenho e pelo Estado colonial. Para mostrar o verdadeiro caminho da libertação, cujo dia ainda está por vir. Mas chegará, porque é impossível deter o TREM DA HISTÓRIA!

* Fonte: Traços das Lutas Escravas no Brasil - Emílio Gennari.

" Por isso nós que fazemos as diretorias da ANE-RN, CPC-RN, CPC DA ANE-RN, AMES-NOVA CRUZ-RN, MESC-SANTA CRUZ-RN E GRÊMIOS ESTUDANTIS FILIADOS, estamos solidários com todos os NEGROS e NEGRAS do nosso Brasil, juntando-se a nós por esta luta justa e contra toda FORMA DE PRECONCEITO e RACISMO. Viva ZUMBI!"

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Pioneirismo no Brasil: Carteira estudantil será gratuita para 100% dos estudantes de Natal


A prefeita do Natal, Micarla de Sousa, assinará nesta segunda-feira (14), o decreto que garante a gratuidade da carteira estudantil para todos os estudantes da cidade do Natal. A solenidade acontecerá às 15h, no Centro Municipal de Referência em Educação Aluizio Alves (Cemure), na Cidade da Esperança. O decreto amplia a concessão da gratuidade para os estudantes de instituições privadas de ensino, a partir de 2012.

Neste ano de 2011 a gratuidade do documento estudantil foi concedida de forma pioneira a todos os estudantes da rede pública de ensino, incluindo escolas municipais, estaduais e das universidades federal e estadual. A gratuidade da carteira se dará com a unificação da identidade estudantil com o cartão magnético do vale-transporte.

Além da gratuidade do documento, também está garantido o direito dos estudantes à meia passagem e à meia entrada em eventos culturais. Com a iniciativa, Prefeitura do Natal será pioneira no Brasil na concessão da gratuidade para todos os estudantes, independente da situação econômica. A medida beneficiará mais de 310 mil estudantes de Natal.

Fonte: Blog do Robson Pires.

domingo, 13 de novembro de 2011

*Presidenta Institui o DIA NACIONAL DE ZUMBI E DA CONSCIÊNCIA NEGRA* Axé!!!


"A presidenta da República, Dilma Rousseff, sancionou ontem (10) a Lei 12.519, que institui o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, a ser comemorado, anualmente, no dia 20 de novembro, data do falecimento do líder negro Zumbi dos Palmares. A resolução oficializa uma iniciativa bem-sucedida dos movimentos sociais negros, iniciada em meados dos anos mil novecentos e setenta. Hoje, incorporado ao calendário das escolas e de muitas outras instituições públicas e privadas, o 20 de Novembro destaca-se como um evento cívico vibrante e de grande participação popular. “As justas homenagens que prestamos a Zumbi e seus companheiros e companheiras exprimem o reconhecimento da nação às lutas por liberdade e pela afirmação da dignidade humana de africanos e seus descendentes que remontam ao período colonial”, declara a ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros. O Dia Nacional da Consciência Negra já é celebrado em 20 de Novembro e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. Apesar do ponto alto da celebração coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, a cada ano as atividades alusivas à data são expandidas ao longo do mês, ampliando os espaços dedicados à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade. Um número cada vez mais significativo de entidades da sociedade civil, principalmente o movimento negro, tem se mobilizado em todo país, em torno de atividades relativas à participação da pessoa negra na sociedade em diferentes áreas: trabalho, educação, segurança, saúde, entre outros temas. Neste Ano Internacional dos Afrodescendentes – instituído por Resolução da Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Nacional da Consciência Negra ganha caráter internacional. No Brasil, o ápice desta celebração será o AfroXXI – Encontro Ibero-americano do Ano Internacional dos Afrodecendentes, que acontece em Salvador, de 16 a 19 de novembro. O evento reunirá representações de países sul-americanos, caribenhos, africanos e ibero-americanos, em torno de debates acerca da situação atual desses povos nas regiões participantes."

sábado, 12 de novembro de 2011

Comitê da Memória, Verdade e Justiça: Desafio do presente

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com/
Por Ariane Leitão
Nosso país inaugura um novo momento em relação à afirmação da luta pelos direitos humanos. A aprovação da Comissão Nacional da Verdade, criada com objetivo de examinar e esclarecer crimes de Estado durante a ditadura militar, representa, sem dúvida, uma conquista da democracia brasileira.
Estivemos durante anos apenas acompanhando, com olhares curiosos e esperançosos, as iniciativas dos irmãos latino-americanos que enfrentaram os torturadores da ditadura militar e resgataram sua própria memória, ainda que esta os remetesse para perseguições, torturas e mortes.
Por aqui, frente à fragilidade das ações do Estado Brasileiro, o movimento social, especialmente através do Movimento Nacional de Direitos Humanos, da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos e do Grupo Tortura Nunca Mais, esteve atuando fortemente, fazendo com que esta pauta não caísse no esquecimento.
http://sul21.com.br/jornal/2011/11/comite-da-memoriaverdade-e-justica-desafio-do-presente.
Fonte: Blog da Dilma. Lili Abreu.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

15º ENEARTE TROUXE PARA O CENTRO DO DEBATE O TEMA "CALDEIRÃO DE IDENTIDADES"


O CUCA da UNE foi co-realizador do 15º Encontro de Artes que movimentou Natal/RN durante 5 dias de atividades

Promovido anualmente por estudantes, coletivos culturais e centros acadêmicos, o 15º Encontro Nacional dos Estudantes de Artes (ENEARTE) comemorou nos últimos dias 23 a 29 de outubro, em clima de “festa de debutante”, o tema “Caldeirão de Identidades”. Realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o encontro foi organizado pelos Centro Acadêmico de Dança e de Teatro (CADEC e CATEC), Centro Acadêmico de Artes Visuais (CAAVAG) e o Centro Universitário de Cultura e Arte de Natal (CUCA da UNE/RN).

Agregando uma temática controversa, a palavra “caldeirão” remete a ideia de melting pot norte americana, na qual as referências culturais estão mergulhadas num mesmo caldo cultural, deixando a pretensa ilusão que podem ser “nutridas” separadamente – se assim o desejar. O encontro tentou, no sentido inverso, tomar emprestado as ideias que remetessem a Antropofagia dos modernistas de 1922, em que o cruzamento das “identidades culturais” é gerador de formas híbridas, revelando o caráter dinâmico e mestiço da cultura brasileira. A identidade nacional, dessa forma, se dá na diversidade cultural brasileira apresentada.

Com programação estruturada em oficinas, debates, mostras artísticas e científicas, além dos convidados, estudantes tiveram a oportunidade de expor, apresentar e assistir mais de uma centena de trabalhos. Merece destaque a Estética da Via Crucis, das estudantes Roberta Nascimento e Talitha Andrade, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), na qual carregam a cruz da ditadura da moda e da beleza feminina até serem crucificadas em projeção de imagens a sua própria semelhança.

O ato público chamou atenção pela vibração do grupo percussivo Pau e Lata, cicerone também do encontro, que tira sons a partir de materiais reutilizados. O cortejo se concentrou na Praça Vermelha e seguiu em direção ao Largo Dom Bosco para residir finalmente no antigo prédio da Faculdade de Direito da UFRN. A manifestação, assumindo para si o exemplo de outras mobilizações ocorridas pelo mundo afora, contou desde a descriminalização do uso da maconha, passando pelo impeachment da Prefeita de Natal, Micarla de Sousa, até o investimento em 2% e 10% do PIB para a cultura e para a educação.

O BRASIL SE ENCONTRA AQUI

Foram mais de 500 estudantes inscritos e muitos sotaques presentes no alojamento. Do Rio de Janeiro, por exemplo, estiveram presentes delegações de quatro importantes universidades públicas: UFRJ, UFF, UERJ, além da UFRRJ – Rural. Com dois animados ônibus chegaram os artistas “candangos” de Brasília – UNB. Maranhão, Piuí, Bahia, Sergipe e Goiás também tiveram bastante trabalhos apresentados e participantes inscritos, o que engrandeceu a prévia inauguração o novo prédio construído para o Departamento de Artes (Dearte).

Durante a plenária final, com objetivo de reestruturar a FENEARTE, foram criados dois grupos de trabalho; um para discutir o estatuto da entidade e outro para retomar os trabalhos para sua organização, até o próximo encontro nacional.

Respeitando o encaminhamento de encontros anteriores (Ouro Preto 2010) que dá a indicação para escolha da Escola que sediará o próximo encontro, e na ausência de representação dos estudante para manutenção da candidatura da USP, venceu o pleito para o 16º ENEARTE / 2012 a cidade do Rio de Janeiro, capitaneado pela UERJ. A indicação de Brasília – UNB foi referendada para a edição ENEARTE / 2013.

Para mais informações, acesse: www.cucadaune.blogspot.com

Fellipe Redó, Nativa Yawanawá e Rafael Buda – coordenadores do Cuca da UNE

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Orquestra da UFRN faz concerto com convidados especiais nesta quinta-feira

A Orquestra Sinfônica da UFRN realiza um concerto hoje com direito a convidados especiais e repertório contemporâneo.

A apresentação faz parte do calendário de eventos do curso de pós-graduação de Práticas Interpretativas dos Séculos XX e XXI, e traz peças de compositores vivos. Como solistas, participam os professores Fábio Presgrave (violoncelo) e Ana Paula de Souza (violino) além do percussionista mexicano Manuel Alejandro Zacarias na execução da marimba e participação do cantor, compositor e poeta Silvério Pessoa - através de um projeto do Itaú Cultural. O concerto tem entrada franca e acontece hoje, dia 10, às 20 horas no auditório da Escola de Música. Ingressos são retirados no local.

Na sexta-feira, dia 11, haverá palestra com Jônatas Manzolli sobre música e neurociência, na Escola da Ciência e Tecnologia da UFRN, sala 3.

Fábio Presgrave foi membro integrante do grupo Rio Cello Ensemble e artista residente nos festivais de Dartington (Inglaterra) e Kinnhaven (EUA). Apresentou-se como solista com a Orquestra Petrobrás Pro-Música, Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense - UFF, com a qual realizou a estréia do concerto de I. Jevtic e mais recentemente com a Orquestra Luterana do Brasil no Rio Grande do Sul - ULBRA, no concerto que marcou a estréia mundial do Concerto para Violoncelo de Pablo Castellar.

No ano 2000, participou no Centro Cultural Banco do Brasil das homenagens aos 250 anos de morte de J.S. Bach, e também apresentou-se no Paul Hall em Nova York. Como camerista se apresentou em salas como Alice Tully Hall, Merkin Hall (Carpentier Quartet) e Morse Hall. Seu duo com o violinista Daniel Guedes se apresenta continuamente no Brasil e nos EUA, incluindo em seu repertório obras inéditas brasileiras.

O curso de especialização em "Práticas Interpretativas dos Séculos XX e XXI" iniciou suas atividades este ano, sob a coordenação do professor Cléber Campos. O curso, pioneiro no Brasil, tem trazido a Natal alguns dos principais nomes da Música Clássica Contemporânea. Durante o concerto da próxima quinta, serão executadas peças de Ernst Mahle, Silvio Ferraz, Jorge Álvaro Sarmientos e Jônatas Manzolli. Este último estará presente durante o concerto e ministrará na sexta-feira a palestra "Música e Neurociência". A palestra será às 15 horas na Escola da Ciência e Tecnologia da UFRN, sala 3, e é aberta ao público.

Fonte: Tribuna do Norte

Postado por DCE - UFRN

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

7ª BIENAL DA UNE

NÃO TENHAMOS PRESSA...

Por Joana Dárck

Injustiçado, teatro besteirol ganha peça e exposição em São Paulo

Pesquisador considera que gênero não foi reconhecido como deveria

“Não é que eu só admita a comédia, mas juntar muitas pessoas num teatro e não ouvir um único riso? Isso me parece um desperdício de vida”, declarou certa vez o dramaturgo mineiro Vicente Pereira à atriz Maria Padilha. E essa parece ter sido mesmo a filosofia profissional desse que foi um dos principais representantes do que ficou conhecido como teatro besteirol, o qual tomou de assalto os palcos brasileiros no início dos anos 80, revelando nomes como Mauro Rasi, Miguel Falabella, Guilherme Karan, Diogo Vilela, Jacqueline Lawrence e Duse Nacaratti, entre tantos outros.

Um dos espetáculos mais aclamados de Vicente Pereira foi “Solidão, a Comédia”, um solo de cinco histórias que ganhou a primeira montagem em 1990, estrelada pelo próprio dramaturgo, com direção de Jorge Fernando; e a segunda, no ano seguinte, com atuação de Diogo Vilela, dirigido por Marcus Alvisi. Agora ele retorna aos palcos, no caso do Teatro NeXT, em São Paulo, com interpretação de Mauricio Machado, direção de Claudio Tovar e com sessões às sextas e sábados, às 21h, e aos domingos, às 20h, até o próximo dia 27.

Serviço

Solidão, a Comédia.
Sessões às sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h. Até 27 de novembro. Ingressos de R$ 40 a R$ 50.
Teatro NeXT – Rua Rego Freitas, 454. República. T: 3237-1845.

Mauricio Machado prova ser um ator bastante versátil e conquista os espectadores ao dar vida a cinco personagens marcados pela solidão. O primeiro deles é um homem, para lá de antiquado, que aguarda a chegada da amada a uma sala de cinema, enquanto tenta identificar o filme que passa na tela. O segundo, e talvez o melhor deles, é uma antiga prostituta, que tenta encontrar pelo telefone algum de seus ex-clientes. Há ainda um metrossexual, que não deixa a esposa trancada no banheiro falar; a garota que é alcoólatra, mas tenta não dar bandeira para uma nova conquista; e uma senhora que serve como acompanhante de uma doente em estado terminal e parece não aceitar o estado atual da mesma.

O mais incrível é que damos risadas de todos esses tipos, para, logo em seguida, nos identificarmos e sofrermos com eles, algo que só as melhores comédias são capazes de proporcionar. Basta lembrar o caso de Charlie Chaplin, Buster Keaton, Os Três Patetas e O Gordo e o Magro, entre outros. Portanto, se a crítica especializada dos anos 80, foi incapaz de compreender a força dramática e humorística desses espetáculos, taxados, com boa dose de preconceito, de besteirol, hoje eles começam a ser revistos e finalmente valorizados pelo que possuem de melhor.

Acompanhando o espetáculo, é possível conferir a exposição “Assim Era o Besteirol”, organizada pelo pesquisador Luís Francisco Wasilewski, a respeito do teatro besteirol, com pastas de fotos, artigos de jornais, algumas peças na íntegra e depoimentos de vários artistas envolvidos com esse movimento vistos por um televisor, além de cenas dos espetáculos “Pedra, a Tragédia” e “Quem tem medo de Itália Fausta?”. Há também frases de Miguel Falabella espalhadas pelas paredes.

"Acho que a alegria é sempre discriminada e, principalmente, no momento em que vivemos. Nós vivemos em um momento de transição de um mundo violento. Eu me lembro que nos meus primeiros anos de grupo eu era um alienígena. Eu era uma pessoa olhada como um débil mental, porque eu gostava de rir, gostava de comédia", disse Falabella para a dissertação de mestrado de Wasilewski, na Universidade de São Paulo. O próprio Falabella, aliás, reconhece que para compreender esse tipo de espetáculo era preciso ter boa bagagem cultural. Também era preciso estar aberto para ótimas tiradas como “agenda de puta é fatalidade”, presente em “Solidão, a Comédia”.

Leia a seguir uma entrevista com o curador da exposição e pesquisador do besteirol Luís Francisco Wasilewski.

Como surgiu a ideia de organizar essa exposição com a nova montagem de “Solidão, a Comédia”?
Tudo começa no dia 13 de setembro de 2010. Após uma leitura de "Tietê, Tietê", peça escrita pelo meu amigo Alcides Nogueira, fomos jantar em um grande grupo no restaurante Paris 6. Tide (é como os amigos chamam Alcides) me apresentou a Mauricio Machado, que havia participado da leitura. Mauricio ficou sabendo que eu estava prestes a lançar um livro sobre Vicente pela Coleção Aplauso e viu que eu conhecia a história do teatro besteirol e teve a ideia da exposição. Fui eu que a batizei de "Assim Era o Besteirol", uma homenagem clara aos filmes "Assim Era a Atlândida" e "Assim Era Hollywood". Afinal, se há algo que o besteirol reverenciava era o humor e o cinema.

Você acredita que finalmente o teatro besteirol passa a ter sua importância para o teatro brasileiro finalmente reconhecida?
Não. Sua importância não foi até hoje reconhecida. Uma grande culpa está nas faculdades de Teatro que ensinam História do Teatro Brasileiro e passam pela década de 1980 sem mostrar para os seus alunos a importância do movimento. Hoje, você encontra várias teses e dissertações na área de teatro sobre vários grupos e autores da década de 1980 e 1990. Sobre o besteirol são poucos e seus autores sempre foram muito discriminados por boa parte do meio universitário. Esse descaso aconteceu também com os Dzi Croquettes, cuja importância histórica só foi descoberta após o excelente documentário de Tatiana Issa e Raphael Alvarez sobre o grupo.

Quais são os principais elementos que caracterizam o teatro besteirol e por que ele foi tão mal compreendido por parte da crítica no início dos anos 80?
Ele se caracterizava, grosso modo, por um gênero teatral onde duplas de atores encenavam esquetes que satirizavam a sociedade da época ou parodiavam livros, filmes e peças teatrais. Eram peças dotadas de um humor ferino. Miguel Falabella, quando concedeu a entrevista para a minha dissertação de mestrado sobre o teatro besteirol, disse-me que enxergava um componente "gay" nos espetáculos. Ele fez em seu depoimento uma aproximação do besteirol com movimentos como a La Movida Madrileña, do Pedro Almodóvar, e a Ridiculous Theatrical Company, do Charles Ludlam. Ludlam foi o autor de "O Mistério de Irma Vap", um dos maiores sucessos da história do teatro brasileiro, representado aqui por Marco Nanini e Ney Latorraca. Com relação aos problemas com a crítica, já faz parte da história do teatro ocidental o desprezo pelo gênero cômico. Você vai encontrá-lo em Aristóteles, Machado de Assis e muitos outros críticos. Até bem pouco tempo atrás, até a Neyde Veneziano fazer o seu mestrado sobre o assunto, o teatro de revista também era um gênero ignorado. Hoje, é "cult" estudar teatro de revista. Provavelmente, daqui a 40 anos será "cult" estudar o besteirol. Mas devemos também fazer uma justiça. Barbara Heliodora foi sempre uma grande defensora do gênero.

Quais você considera os maiores destaques da exposição?
Gosto das fotos, especialmente, Falabella e Karam em "Sereias da Zona Sul". Mas Maíra Knox (a diretora de arte) e eu tivemos uma ideia que no Rio fez muito sucesso, que foi a árvore genealógica do teatro besteirol. Através das ramificações, vamos vendo como o movimento se relaciona com artistas que não atuavam ou escreviam as peças do gênero caso, por exemplo, de Ney Matogrosso e Caio Fernando Abreu. O que referenda ainda mais a importância de se contar esta história.

Como você avalia essa nova montagem de “Solidão, a Comédia”, em relação às duas anteriores?
Eu não vi a montagem em que Vicente fazia as cinco personagens. Vi a de Diogo. A montagem atual optou pelo minimalismo cênico com cenários menores. Ela também está sendo encenada em um espaço bem intimista que é o NeXT.

No que o teatro de Vicente Pereira se difere do de outros companheiros de besteirol, como Miguel Magno, Pedro Cardoso, Mauro Rasi e Miguel Falabella?
De todos os citados, Vicente era sempre o mais melancólico. Acho que por isso resolvi estudá-lo mais a fundo. Suas peças tem humor, mas, ao mesmo tempo, são muito tristes. Eduardo Dussek, na entrevista que me concedeu para o Mestrado, decifrou o teatro de Vicente. Ele citava, especialmente, "Solidão, A Comédia", dizendo que o "O Besteirol ria da própria desgraça". Como desde criança aprendi a rir da minha desgraça, vi este elo de identificação meu com o teatro e a pessoa de Vicente. Miguel Magno, por exemplo, com quem tive o privilégio de conviver durante três lindos anos, era um comediante espetacular que, na intimidade, também ria de sua desgraça. Mauro era um escritor mais mordaz. Falabella e Pedro Cardoso aparecem depois como escritores. Pedro, que fazia dupla com Felipe Pinheiro, gostava especialmente de satirizar o cotidiano. As peças da dupla eram crônicas sobre os costumes cariocas. Miguel Magno e Ricardo sempre voltaram a sua escrita para o deboche do próprio teatro, gostavam de parodiar as grandes atrizes do teatro brasileiro.

O que você diria para quem nunca ouviu falar em besteirol a fim de convencer a ver esse espetáculo e a exposição?
Penso que o besteirol é um movimento teatral injustiçado historicamente e a exposição tem o propósito, justamente, de oferecer ao público um pouco da história dele. Programas como “TV Pirata”, que era escrito e interpretado por artistas do gênero, fazem sucesso até hoje, seja nas reprises do Canal Viva, seja através do Youtube.

guibryan1@redebrasilatual.com.br

Fonte: REDE BRASIL ATUAL

Alexandre Frota - Vitrine 25/10/2011

MARIA CRISTINA BARBOSA DE ALMEIDA PARTICIPA DA SESSÃO "COM A PALAVRA O LIVRO"


Diretora da Biblioteca Mário de Andrade indica os escritores Cícero Dias e Juan José Saer.

A coluna "Com a Palavra o Livro" recebe a Diretora da Biblioteca Mário de Andrade a diretora da Biblioteca , Maria Cristina Barbosa de Almeida. Como sugestão de leitura aos ouvintes do "Começando o Dia", ela indicou os romances: "Eu Vi o Mundo", do artista plástico Cícero Dias e "Cuentos Completos" e "As Nuvens", do escritor porteño Juan José Saer.

Com uma narrativa nem sempre linear, um dos mais importantes pintores brasileiros do século XX, o pernambucano Cícero Dias narra suas memórias na autobiografia intitulada: "Eu vi o mundo", alusão à sua obra mais famosa, "Eu vi o mundo... ele começava no Recife".

Lançada pela Companhia das Letras, "As Nuvens", o último romance concluído do argentino Juan José Saer, narra a aventura do Dr. Real, um jovem psiquiatra que, associado a um pioneiro médico holandês, vem fundar na Argentina, em 1804, o primeiro manicômio da América do Sul. Já em "Cuentos Completos" ( Seix Barral), Saer reúne textos que datam de 1957 a 2000.

Publicada pela Cosac Naify, a obra recupera lembranças da infância de Dias no engenho Jundiá e a ligação com o conterrâneo Gilberto Freyre; a vida boêmia no Rio de Janeiro ao lado de Murilo Mendes, Manuel Bandeira e Villa-Lobos; a forte amizade e o debate com as principais personalidades artísticas européias da época, como Pablo Picasso e André Breton.

Fonte: cmais.com.br

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Raízes Africanas no ArtEstação


Hoje, dia 7 de novembro, às 20 horas acontece a abertura do Raízes Africanas com Rufar de tambores e reza com religiosos de matriz afro, sob a coordenação da Sra. Marli Charão (Congresso Regional da Metade Sul em Defesa das Religiões Afro Brasileiras/ COREMSDRAB); exposições de reproduções de pinturas da artista plástica gaúcha Silvia do Cougo - material do kit RS NEGRO: Educando para a Diversidade; Figurinos Afro com manequins vivos, sob a responsabilidade de Marlene do grupo GIAR (na Sala Multiuso); Caricaturas em madeira do artista residente no Bairro Cassino, Paulo Roberto Farias e Bonecas Abayomi (produzidas na oficina realizada no ArtEstação, em novembro de 2010), no CafeConverso; livre interpretação de poesias de Oliveira Silveira, com Gabrielly Butierres e ESTAÇÃO CINECLUBE, com o documentário Sou (26’, Cor/P&B, Brasil, 2010, direção de Andreia Vigo). Após a exibição haverá Roda de conversa com convidados.

sábado, 5 de novembro de 2011

I FESTIVAL DO CONHECIMENTO SUPERA EXPECTATIVAS E FOI UM SUCESSO!


A Escola Municipal Nestor Marinho promoveu o “I Festival do Conhecido” com o tema: “A leitura é a viagem de quem não pode pegar o trem”. Realizado na própria escola, nos dias 03 e 04 de novembro, o evento foi dirigido aos alunos, pais e aberto ao público.

Num primeiro momento, ao público presente - formado por pais e alunos -, a Diretora Eliana deu os votos de boas vindas e declarou aberto o festival. “Pais; é com muita alegria e satisfação que vos digo, que os vossos filhos através da música, arte e teatro, atividades desenvolvidas pelo “Projeto LES” em nossa escola, rederam bons frutos. Hoje, o prazer pela leitura por parte deles é um fato e seus conhecimentos sem sombras de dúvidas, aumentaram. Afirmou Eliana (Diretora).

Representando a Secretaria de Educação do município, Terezinha Januário, palestrante da noite, falou da necessidade e da importância qual é a leitura e a escrita. “Nos dias de hoje com a tecnologia super avançada, não ler e não escrever é simplesmente não ver; não escutar e não saber o que falar. Ler e escrever, nos faz viajar além do imaginário, atravessar fronteiras e chegar ao mais distante lugar do planeta”. Com essas palavras Terezinha finalizou a palestra.

O festival que proporcionou uma oportunidade ímpar de somar conhecimento, além dos pais, também contou com a participação de alunos das escolas da rede de ensino pública e privada.

Segundo a diretora, responsável maior pela a realização do evento, o mesmo superou todas as expectativas.

Além da palestra e apresentações culturais na noite da abertura (03/Nov), o festival contou com a exposição de trabalhos desenvolvidos por alunos da mesma instituição durante todo o dia 04.

Para as coordenadoras do Festival, Andrea de Melo e Elizabete Profírio, “o evento foi um sucesso!”. Elas agradeceram a presença dos alunos, dos pais e se mostraram satisfeitas por terem sido questionadas sobre quando será a próxima edição. “Vamos programar o próximo. A nossa intenção é integrar também alunos do 8º e 9º anos”, antecipou Elizabete.

Fonte: FOLHA DO AGRESTE - Fotos: Ronaldo Glaydson

" Queremos parabenizar toda a comunidade escolar da E. M. Nestor Marinho pelo belíssimo trabalho em prol da cultura, através da literatura em prol dos estudantes. Uma ação SALUTAR! Isso significa que quando a comunidade se une as coisas acontecem,por isso nós que fazemos a ANE-RN, CPC-RN, CPC DA ANE-RN e a AMES-NOVA CRUZ/RN nos juntamos ao conjunto de formadores de opiniões para que várias ações dessa natureza seja divulgadas para que outras escolas possam fazer o mesmo. A todo o corpo de professores, equipe técnica e pedagógica, funcionários e em especial os ESTUDANTES nossos sinceros votos de PARABÉNS! ". Eduardo Vasconcelos, ANE-RN, CPC-RN, CPC DA ANE-RN e AMES-NOVA CRUZ-RN.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

ORDEM DO MÉRITO CULTURAL -MINC LEVA PARA O NORDESTE A CERIMÔNIA DE 2011


O Ministério da Cultura fará, no próximo dia 9 de novembro, no Teatro de Santa Isabel, em Recife (PE), a entrega da Ordem do Mérito Cultural (OMC) aos 51 agraciados da edição 2011. Esta será a primeira vez que a cerimônia de entrega das condecorações acontecerá em um estado do Nordeste.

A OMC possui três classes de comendas dirigidas a personalidades: Grã-Cruz, que é a mais alta graduação da Ordem; Comendador e Cavaleiro. Instituições, entidades ou iniciativas também são homenageadas com Ordem do Mérito Cultural, mas sem a divisão em classes.

Nesta edição, 18 personalidades serão agraciadas com a Grã-Cruz, 13 com a Comendador e 5 com a ordem Cavaleiro, além de 15 associações culturais e grupos artísticos.

O tema da edição 2011 da OMC é uma homenagem a Patrícia Rehder Galvão, conhecida pelo pseudônimo de Pagu (1910-1962). Já foram homenageados em edições anteriores da premiação nomes como o músico Heitor Villa-lobos, o antropólogo Darci Ribeiro e o escritor Machado de Assis.

Diversidade cultural

Instituída pelo MinC em 1995, a Ordem do Mérito Cultural (OMC) já concedeu mais de 500 condecorações a nomes ilustres da história e da arte brasileira, como Santos Dumont (in memoriam), Bibi Ferreira, Ângela Maria, Pixinguinha (in memoriam), Cartola (in memoriam), Ana Botafogo.

As medalhas são direcionadas a um amplo universo temático, de forma a abranger a diversidade marcante da cultura brasileira. Contemplam as tradições de grupos étnicos, as expressões da cultura popular, as Artes Visuais, a Música, a Literatura, o Teatro, o Cinema, o Design, a produção intelectual, entre outros segmentos que compõem o grande espectro cultural do país.

(da Redação)

(Foto: Marcelo Lyra)/MINC